Meditação de 11 de Agosto de 2017
Rev. Josemar da Silva Alves Bonho

Ser pai é estar no céu


“Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá” (Salmo 127.3)

O Ano Novo de 2017 foi simultaneamente alegre e triste para um pai chamado Lamar Austin, nos Estados Unidos. Alegre, porque ele e sua esposa Lindsay tiveram o primeiro bebê do ano na cidade de Concord, capital do estado de New Hampshire. Triste, porque ele foi demitido do emprego porque faltou ao trabalho para levar sua esposa à maternidade e acompanhar o nascimento de seu filho Cainan. Acontece que o Estado em que Lamar vive adota uma lei trabalhista do tipo “emprego a critério” (employment at-will), onde o funcionário pode ser demitido sem justa causa a qualquer momento e por qualquer motivo. Esta é a história de um pai que diante de uma difícil decisão escolheu seguir o seu coração e priorizar a paternidade.

E por falar em prioridade, uma lição a esse respeito foi ensinada pelo treinador de um time de basquete da Lituânia. Em maio deste ano, Sarunas Jasikevicius, que treina o Zalgiris Kaunas, liberou o jogador Augusto Lima de uma partida decisiva para acompanhar o nascimento de sua filha. Ao ser questionado por um jornalista sobre a ausência do jogador, o técnico respondeu: “Você tem filhos? Quando você tiver vai entender. Porque esse é o auge da experiência humana. Você acha que o basquete é a coisa mais importante da vida? ... Quando você tiver seu primeiro filho você vai entender o que é a coisa mais importante nessa vida. Então você vem falar comigo. Nada pode ser mais majestoso nesse mundo do que o nascimento de uma criança. Acredite em mim. Nem títulos, nem nada mais. Augusto Lima está no céu emocionalmente agora, e estou muito feliz por ele.”

Realmente, ser pai é estar no céu. O teólogo Martinho Lutero escreveu que “os pais podem ganhar o céu através dos próprios filhos, mesmo que não façam outra coisa além de serem pais”. Por outro lado, a paternidade traz consigo também a insegurança e muitos pais se sentem culpados por não terem feito o suficiente por seus filhos. Se você se sente assim, tente imaginar como se sentiu um humilde carpinteiro ao criar Aquele que é o Verbo criador e ao orientar Aquele que é o Caminho e a Verdade. Mesmo hesitando e sentindo-se incapaz diante de grandiosa tarefa, ele assumiu tão nobre vocação. José protegeu o menino Jesus, levou-o ao templo. Entre um e outro trabalho da oficina de carpintaria, José talvez tenha recitado algumas passagens das Sagradas Escrituras ao seu filho. Deus deu a um homem comum de Nazaré a responsabilidade única de criar e educar Nosso Senhor e ele fez o melhor que pôde com os dons que Deus lhe deu. O resultado era que “Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens.” (Lucas 2.52)

Ser pai é uma responsabilidade e um dom precioso que Deus continua presenteando a homens de hoje. Em 1519, Lutero escreveu esta consoladora mensagem: “Os pais não fazem melhor obra e nada mais valioso para Deus, para a cristandade, para todo o mundo, para si e para os seus filhos do que criar bem os seus filhos. Educar seus filhos de forma adequada é o caminho mais curto para o céu” (Sermão acerca do estado do matrimônio).

Lembre-se que o nosso Pai que está no céu ajuda todos os pais aqui na terra a quem Ele confiou vidas preciosas. Neste Dia dos Pais dedique uma oração ao Pai Celestial, agradecendo-o por todas as bênçãos e pedindo o que você precisar para ser melhor pai em qualquer circunstância. Ele lhe dará o melhor.